quarta-feira, 15 de julho de 2009

Até sofrer? Ou não viver?

Quando a gente está sozinho e quer ficar assim por um tempo pelo menos, morremos de medo de nos apaixonar por alguém. Então nos protegemos, nos preservamos e também nos privamos de viver algo legal. Até que ponto vale a pena deixar de viver para não sofrer?
Será que vale?
Tenho certeza que não!
Sempre vale a pena viver e viver intensamente o que a vida tem pra nos oferecer mesmo que seja momentâneo, passageiro ou não. Nunca saberemos se não vivermos. Eu quero viver sempre! Me apaixonar e desapaixonar todas as vezes que eu tiver oportunidade. Isso pode acontecer com leveza se não colocarmos nesta criatura apaixonante, nossas frustrações e distorções. Sem interesse outro, sem expectativas, sem cobranças, sem estresse.
A vida é muito curta para tantas paixões disponíveis.
Vamos curtir tudo e saborear cada segundo como se fosse único. Até os momentos de dor precisam ser vividos com calma e saboreados para que possamos tirar daí nossas curas e lições. Passado já foi e futuro nem chegou, o presente é o presente mais valioso que recebemos.
Viva!!! Viva!!! Viva!!! A vida!!!!!!!!!

Beijos e tratem de se apaixonar muuuitas vezes, mesmo que seja pelas mesmas coisas ou pelas mesmas pessoas!!!!!!!!!!

3 comentários:

Daniela Corbellini disse...

Pois é , era bem o que eu estava precisando .É bom , sempre é bom se apaixonar...é viver faz parte da vida ...

Paulo Pletsch disse...

Beije, beije muito por que é bom mesmo, apaixone-se quantas vezes forem nescessarias para saber se é bom, so provando deste maldito amor mesmo é que se descobre que é bom.Beijossssssssssssssssssss

Paulo Pletsch disse...

Po Daniela acompanaha o meu blog tambem.
www.aconteceemportoalegre.blogspot.com